Fred Silva Kōdōkan Jūdō Blog

Imagem rara!

Posted in História by fredsilva on 12/17/2009

Uemura versus Yamashita

Aqui temos uma imagem raríssima, Yasuhirō Yamashita (山下泰裕), sendo derrubado! Antes de iniciar sua série histórica de 203 vitórias consecutivas, Yamashita perdeu 16 lutas, 4 delas para Haruki Uemura (上村春樹), atual kanchō (浣腸) do Kōdōkan Jūdō.

Na imagem, Uemura projeta Yamashita com um ōuchi-gari (大内刈) de esquerda, resultando em yuko. A luta terminou empatada e foi decidida a favor de Uemura no hantei. Essa luta foi realizada em 29 de abril de 1975, na semi-final do Campeonato Nacional Japonês Absoluto (Zennihon jūdō senshuken taikai, 全日本柔道選手権大会). Uemura sagrou-se campeão, derrotando Chonosuke Takagi (高木長之助) na final.

Haruki Uemura em 2009

Uemura foi campeão do Campeonato Nacional Japonês Absoluto em 1973 e 75 e foi terceiro colocado em 1976 e 79. Representou o Japão na Olímpiada de Montreal, onde sagrou-se campeão. Ainda foi campeão mundial em 1975 e vice em 73.

Yukimitsu Kano e Haruki Uemura

Haruki Uemura assumiu a presidência do Kōkōkan em abril de 2009. Logo depois foi promovido a kudan (九段), aos 58 anos de idade, um dos poucos a serem promovidos pelo Kōdōkan a essa graduação antes dos 60 anos. O recorde ainda pertence a Hideichi Nagaoka (永岡秀一) promovido à kudan aos 53 anos e 5 meses em 1930, pelo próprio Jigorō Kanō. Yasuhirō Yamashita atualmente hachidan, pode eventualmente quebrar esse recorde, com 52 anos, ele tem até novembro de 2010 para ser promovido.

Yamashita perdeu para Uemura nas seguintes lutas:

04/1975 – Campeonato Nacional Japonês Absoluto (hantei)
02/1976 – Primeira Seletiva para os Jogos Olímpicos
04/1976 – Segunda Seletiva para os Jogos Olímpicos (hantei)
04/1976 – Campeonato Nacional Japonês Absoluto (hantei)

Uemura perdeu para Yamashita nas seguintes lutas:

04/1978 – Campeonato Nacional Japonês Absoluto (hantei)
07/1978 – Seletiva Nacional Japonesa (koka, uchi-mata)
11/1978 – Copa Jigoro Kano +95 Kg (ippon, uchi-mata)
09/1979 – Seletiva Nacional Japonesa (hantei)

Em 1979, Uemura encerrou a carreira competitiva.Ficaram empatados em 4 a 4.

Yamashita continuou lutando até 1985. Ganhou nove vezes o Campeonato Nacional Japonês Absoluto, de 1977 a 1985, recorde absoluto. Sagrou-se Campeão Olímpico em Los Angeles 1984. Foi prejudicado pelo boicote Japonês a Olimpíada de Moscou em 1980. Foi ainda Campeão Mundial em 1979, 1981 e 1983. Em 1981, ganhou no peso e no absoluto.

Em 2007, no Campeonato Mundial de Jūdō no Rio de Janeiro, tive a oportunidade de conversar rapidamente com Yasuhirō Yamashita, no hotel onde estava hospedada a delegação Japonesa. Fiquei impressionado com a sua humildade e disposição, treinava diariamente com a equipe Japonesa.

Yamashita em 2007

Bibliografia:

Yamashita, Yasuhirō. The Fighting Spirit of Japan. Ippon Books, 1993.

Watson, Brian N. The Father of Jūdō: A bibliography of Jigorō Kanō. Kōdansha, 2000.

Novas regras para arbitragem

Posted in Arbitragem by fredsilva on 12/17/2009

Na última sexta-feira, dia 11/12/2009, estive em Salvador para participar do seminário e exame de arbitragem promovidos pela CBJ – Confederação Brasileira de Jūdō e pela FEBAJU – Federação Baiana de Jūdō, dentro da programação do 22º Campeonato Nacional Feminino do SESC.

O seminário foi ministrado pelo sensei Carlos Alberto de Castro Barreto, rokudan, árbitro FIJ A. O sensei Carlos Barreto é atual presidente da Federação de Jūdō do Rio Grande do Norte e foi promovido recentemente a FIJ A, na Copa do Mundo de Samoa, realizada de 13 a 18 de novembro em Apia.

No escopo do seminário foram enfatizadas as novas regras referentes aos ataques e bloqueios abaixo da faixa. Qualquer ataque ou bloqueio com as mãos abaixo da faixa, agora serão punidos com shidō na primeira tentativa e hansoku-make na segunda.

Técnicas como kuchiki-taoshi, kibisu-gaeshi, morote-gari, kata-guruma, sukui-nage, obi-otoshi e a variação do uki-waza, popularmente conhecida como kata-otoshi ficam proibidas para ataques diretos, sen-no-sen (先の先).

Ainda será possível a aplicação da variação do sukui-nage, conhecida como te-guruma, quando aplicada como kaeshi-waza (返し技, contra-ataque), seguindo o conceito do go-no-sen (待の先).

O kata-guruma também poderá ser aplicado como um renzoku-waza (連続技, técnica contínua) do Ippon-seio-nage. Kuchiki-taoshi e kibisu-gaeshi podem ser aplicados como renzoku-waza para ōuchi-gari e kouchi-gari.

Outra modificação significativa nas regras competitivas, é o placar que não é mais zerado para o Golden score e este passa a ter 3 minutos de duração. Caso a disputa vá a hantei, todo o combate deve ser levado em conta, tempo normal mais o golden score, para a decisão final.

Ao final da sexta-feira fizemos o exame teórico com 40 questões. A avaliação prática foi realizada no sábado, durante o Campeonato Nacional Feminino do SESC, que incluía um Festival masculino. Também participaram da avaliação os árbitros Aloísio da Costa Short Sobrinho, FIJ B e Fernando Soares de Jesus FIJ C. Fui aprovado para árbitro Nacional C do quadro da Confederação Brasileira de Jūdō.

Apesar de a mudança ser radical, principalmente pela proibição do ataque direto com kata-guruma, uma técnica clássica do Jūdō, inclusive parte do nage-no-kata, os princípios fundamentais do Jūdō  sairão fortalecidos. Teremos uma postura mais ereta  e as técnicas fundamentais do Jūdō, tais como: tai-otoshi, ōsoto-gari, ōuchi-gari, kouchi-gari, seio-nage e uchi-mata, voltarão à proeminência.

No Grand Slam de Tóquio no último fim de semana, já sob efeito das novas regras, 56% das lutas terminaram em ippon. Para o presidente da Federação Internacional de Jūdō, Marius Vizer, a mudança resgata a essência da modalidade. “Nos estamos muito felizes por ver o verdadeiro espírito do Jūdō de volta. A FIJ agradece a todos os países pelo apoio. Estas mudanças são importantes para o futuro do Jūdō “, diz Vizer.

Arquivo PDF com as Novas Regras 2010

Bibliografia:

Daigo, Toshirō, Kawamura, Teizō . Kōdōkan New Japanese-English Dictionary of Jūdō. Kōdōkan, 2000.

Tenjin Shin’yō-ryū (天神真楊流)

Posted in Jūjutsu by fredsilva on 12/02/2009

O Tenjin Shin’yō-ryū foi uma escola (ryūha, 流派) de Jūjutsu (柔術) fundada por Minamoto no Masatari Iso Mataemon na década de 1830. É baseada nas escolas Yōshin-ryū (楊心流) e Shin no Shindō-ryū (真之神道流). O Shin no Shindō-ryū também é uma derivação do Yōshin-ryū.

Tenjin Shin’yō-ryū significa “Verdadeira Escola Sagrada do Salgueiro”, em contraponto a Yōshin-ryū, que significa “Escola do Espírito do Salgueiro”.

Salgueiro nevado

A lenda diz que o fundador do Yōshin-ryū, Yoshitoki Shirōbei Akiyama, achando que o número de técnicas que ele tinha aprendido não era suficiente, refugiou-se no templo Tenmagū, onde se dedicou a 100 dias de meditação, quando desenvolveu 303 novas técnicas. Durante os 100 dias, em um dia em que nevava bastante, observando as árvores de salgueiro em volta do templo, percebeu que elas eram as únicas arvores que não tinham os seus galhos quebrados pelo peso da neve acumulada. Os galhos do salgueiro curvavam, deixavam a neve cair e voltavam a posição normal. A flexibilidade do salgueiro impressionou Akiayama, que passou a ensinar que o corpo tem que ser flexível como os galhos do salgueiro.

 

O Tenjin Shin’yō-ryū é uma escola recente de Jūjutsu, floresceu no fim do período Edo (江戸, 1603-1868), década de 1860. Período de paz e onde as tradicionais armadura e espada japonesas já vinham em desuso. Seus discípulos usam hakama (袴). A escola ensina 124 formas (kata 形).

Toshihirō Kubota

Suas técnicas consistem no uso de atemi-waza (当身技), nage-waza (投技), katame-waza (固技) e kappō (活法). Há uma grande enfase no uso de atemi em pontos vitais do corpo (kyushō 急所).

O atemi é usado para provocar o desequilíbrio (kuzushi 崩し), em seguida o oponente é projetado com nage-waza e finalmente dominado com uma técnica de katame-waza.

Nas técnicas de katame-waza temos as chaves ou torções kansetsu-waza (関節技), os estrangulamentos shime-waza (絞技) e as imobilizações osaekomi-waza (押込技).

Jigorō Kanō (嘉納治五郎), o fundador do Kōdōkan Jūdō (講道館柔道), estudou o Tenjin Shin’yō-ryū com o mestre Hachinosuke Fukuda  e depois com Masatomo Iso Mataemon, terceiro sōke (宗家), neto do fundador. Outro aluno do terceiro sōke foi o fundador do Aikidō (合気道), Morihei Ueshiba (植芝盛平).

Tenjin Shinyō-ryū

O Tenjin Shin’yō-ryū, junto com o Kitō-ryū, é uma das escolas de Jūjutsu mais importantes na formação do Jūdō. Praticamente todo o katame-waza do Jūdō foi absorvido dessa escola, bem como algumas técnicas de nage-waza.

O quinto sōke, Masayuki Iso Mataemon, não deixou um discípulo para seguir a tradição. A linha sucessória familiar foi quebrada.

O quarto sōke, Masanobu Iso Mataemon  passou todo o conhecimento da escola para Torajirō Yagi, um grande discípulo do terceiro sōke. Torajirō Yagi passou para Fusatarō Sakamoto (Kōdōkan kudan), que passou para o atual shihanke Toshihirō Kubota (久保田敏弘, Kōdōkan shichidan), que recebeu sua graduação menkyo-kaiden (免許皆伝) em 1973. Fundou em 1978, 0 Tenyokai dōjō (道場), onde continua ensinando Tenjin Shin’yō-ryū e Kōdōkan Jūdō.

Existe outro ramo do Tenjin Shin’yō-ryū no Japão, de  Keitarō Inoue da 4ª geração, para Hanzō Miyamoto, para Kasaburō Aimiya, para o menkyo-kaiden Kōichi Shibata (柴田孝一).

Toshihirō Kubota e Kōichi Shibata são os únicos menkyo-kaiden da atualidade. Shibata tem poucos alunos, praticamente restritos a sua família. Kubota tem muitos alunos, inclusive alunos reconhecidos na Inglaterra e na Austrália. O inglês Paul Masters chegou a  penúltima graduação menkyo em 2006.

As graduações são: Shoden menjo kirigami, Chuden menjo mirigami, Mokuroku, Menkyo e Menkyo-kaiden.

Havia uma mulher menkyo-kaiden até 1993, quando Kazu Tobari faleceu, sem deixar discípulos.

Por ser uma escola de Jūjutsu relativamente recente, sua história é bem preservada e existem diversos livros detalhando suas técnicas e sua história. Um do principais livros é Tenjin Shin’yō-ryū Jūjutsu Gokui Kyoju Zukai (天神真楊流柔術極意教授図解) de Chiharu Yoshida (吉田千春), discípulo do quarto sōke. O prefácio desse livro foi escrito por Jigorō Kanō. O livro pode ser conferido na integra no website da biblioteca nacional do japão Kokuritsu Kokkai Toshokan (国立国会図書館).

Abaixo um vídeo onde o shihanke Toshihirō Kubota demostra um dos kata do Tenjin Shin’yō-ryū:

 

Bibliografia:

MOL, Serge. Classical Fighting Arts Of Japan: A complete Guide do Koryū Jūjutsu. Kōdansha, 2001.

SKOSS, Diane. Koryū Bujutsu: Classical Warrior Traditions of Japan. Koryu Books, 2000. Volume 1.

 

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.